Archive for the ‘Resenhas’ Category

Resenha: 2009

Posted: Dezembro 31, 2009 by Ricardo Motta in Resenhas

Poisé pessoal, ultimo dia do ano, todo mundo se preparando, pulando onda, comendo romã e toda aquela bobagem de mudança de ano. Assim como nosso caro Bruno Mazzeo, no quadro “Cilada”, do programa Fantástico desse domingo, 2010 vai ser bom porque é par, e 2011 porque é impar. Enfim, todos fazendo promessas, preparando dietas, contando os quilos que deseja emagrecer, as mulheres que quer pegar, as notas que quer tirar e as cervejas que deseja esvaziar. E como 2009 foi um ano recheado de coisas interessantes a se comentar, vou fazer uma resenha (é, não tem nada de retrospectiva, aqui é comentário critico) do que foi o ano de 2009.

Às vésperas do fim do mundo (maias, 2012), das eleições que finalmente vão tirar o nosso bigodudo aleijado da mão esquerda do poder, 2009 ainda teve morte de estuprador astro da música, crise financeira, posse do negão presidente americano, gripe do porco, entre outros.

O ano começou com o grande Barack Obama assumindo o controle da grande potência americana. Ainda que isso não mude merda nenhuma para nós, reles moradores de um país de terceiro mundo. (ó, mundo cruel!).

Em meados de março, explodiu um grave surto de uma doença engraçada e letal. É a tal de gripe do porco, que nos deixou alguns dias de férias (o//), e que matou muita gente pelo mundo (ahhh).

Meses depois, caiu um monomotor jatinho da air france e morreu uma penca de gente. E, a grande atraçãaaaao do pooost! MORRE MICHAEL JACKSON!

Merece até um parágrafo novo. O grande astro do pop internacional, famoso pelas crianças estupradas músicas que viraram hits mundiais, e pelas danças extravagantes, morreu em sua própria casa, de uma overdose de calmantes. E, depois da sua morte, seus fãs, assim como os zumbis de thriller, se levantaram de seus buracos. Até hoje os seus covers aparecem naqueles programas de tarde na record, band, redetv e sbt.

Passando pra segunda metade do ano, teve revelação de amigo secreto no comité olímpico nacional, que tirou o Rio de Janeiro e lhe deu de presente a realização dos jogos olímpicos de 2016. Mas, todo mundo sabe que o mundo vai acabar em 2012, não vai dar nem tempo.

Depois teve apagão, teve tijolada na cara do berlusconi (viu, eu assisto jornal nacional), teve mola na cara do massa, teve festa e peru assado no natal, igual todo ano.

É, isso foi 2009 na humilde opinião desse escritor do PDG. Que 2010 seja bom pra todos, que consigam começar aquela dieta que está no armário desde 1998, que consigam ter seu time campeão brasileiro pra zoar os colegas. Saúde e paz moçada!

Anúncios

Avatar[Resenha]

Posted: Dezembro 30, 2009 by Matheus Padilha in Resenhas, Todos
Etiquetas:,

Sem spoliers, vou tentar falar do novo filme de James Cameron, a super-produção Avatar.
James “Titanic” Cameron engavetou propositalmente este projeto desde 1995 até 2004 aguardando sabiamente o surgimento da tecnologia necessária para tornar real algo tão espetacularmente fantasioso com Avatar. Teria ele seguido os mesmo passos de Steven Spielberg, que também esperou pelo avanço da computação gráfica para fazer o seu Parque dos Dinossauros?

No século 22, a humanidade chega até Pandora, uma lua que orbita o planeta gasoso Poliphemus em Alfa Centauro, para minerar um metal especial, sendo que o ar deste mundo não é respirável para os seres humanos e o mesmo é habitado pela raça dos Na’vi, que são mais primitivos, porém mais sábios do que nós. Pandora é um lugar coberto de selvas tropicais e seus habitantes vivem em harmonia com a natureza local.

Jake Sully (Sam Worthington), um fuzileiro que se encontra paralítico é convidado a participar de uma incrível experiência: transferir sua consciência para um saudável corpo híbrido clonado dos Na’vi e se infiltrar entre eles para aprender seus costumes. Isso o torna o Avatar que dá o título do filme. Jake se apaixona por uma nativa (Zoe Saldana, do novo Star Trek) e fica dividido entre cumprir sua missão ou defender o povo que o acolheu contra a ganância dos humanos.

Agora responda rapido qual nerd, jogador de RPG ou MMORPG, nunca sonhou em um dia acordar no corpo de um personagem, de um guerreiro de outra civilição como Jake Sully que acordo no corpo de um Smurf Na’vi.
O filme tem um super easter egg* que eu não vou falar aqui qual é, vale a pena correr ao cinema mais proximo e confirir o filme. Quem tiver a oportunidade e “bala na agulha” pode ir ao IMAX 3D e ver o filme em três dimensões.

Padilha ainda se pergunta porquê tinha que ser avatar, digite avatar no google imagens e veja o que aparece.

Resenha: 2012

Posted: Dezembro 6, 2009 by Ricardo Motta in Resenhas, Todos

Sábado à noite. Galera reunida no shopping, e uma sessão legendada do filme mais apocalíptico em cartaz. E eu já imaginava o que vinha pela frente.

A história começa com uma história de explosões solares, neutrinos em quantidade absurda e aquecimento do núcleo da terra. Sim, mas não é o dia depois de amanhã. E, na minha época, neutrinos passavam pela matéria, sem interferir nela.

Se você não sabe o que é neutrino, clique aqui.

Como ninguém sabe o que é um neutrino, e muito menos vai ler a página linkada acima, vamos nos concentrar na história do filme.

A história se concentra em um escritor frustrado, seus dois filhos, sua ex-mulher e o marido dela (o protagonista é um corno assumido durante boa parte do filme). E não me pergunte seus nomes. Depois de um certo tempo a memória não funciona em seu perfeito estado.

O filme é legal, te faz sair de lá com vontade de construir uma arca de noé. É bem apocalíptico, e apesar de mais de 90% das pessoas do mundo morrerem, muita gente ainda se salvou. Pelo menos o marido da ex-mulher do nosso querido protagonista morreu no final, e como se esperava, eles voltaram a ser uma família. E é bem longo também, no fim minha perna tava doendo de ficar sentado. São tres horas.

E, como na vida real, ninguém sabe de merda nenhuma (povão) até uma onda enorme matar todo mundo. E com certeza é isso que aconteceria na vida real.

É um bom programa para o sábado à noite. Não tem muito romantismo, por isso não há problema em ir sozinho, você não vai se sentir o último solteiro da cidade, ou um gay assumido, como o tal “lua nova” e sua história de vampiros purpurinados.

Avaliação final:

Minha nota é alta. Até porque, é um bom filme. Recomendo. Porém, falta atenção nos efeitos especiais, alguns são bem mal feitos, e falta atenção à história, no fim você não sabe quem é o protagonista dessa parada. Mas é sim, um bom programa senhoras e senhores.

Lua Nova[Resenha]

Posted: Novembro 30, 2009 by Matheus Padilha in Resenhas
Etiquetas:

Semana passada fui ao cinema forçado, pois minha namora, como garota que é, gosta.
Na minha opnião de nerd, fica pelo seguinte:
Se você não é homosexual, simpatizante, transformista ou qualquer coisa do genero, guarde seu dinheiro. Falta sangue, falta porrada, falta nexo.
Agora a opnião critica…
Eu nunca criei expectativas pro filme, então, whatever, esperava qualquer coisas. O unico Um ponto forte do filme, foram as transformações dos Lobisomens. A garota sofre, esperneia, chora e nada de Edward, o que eu devo dar graças a Deus, por que toda vez que ele apareceu no filme, apareceu sem camisa, e todo cinema gritava – liiindo – sinceramente não sei porque, anyway, achei o personagem de Robert Pattinson sem sal, não alterou a trama, ou melhor, a trama gira em torno dele e ele nada.
Uma outra coisa que eu venho notando desde o primero filme é a Bella, ela vive com um olho mais aberto que o outro, parece O Ultimo Rei Da Escócia.

A Garota O garoto indigena e seus amigos foram provavelmente os melhores personagens do filme, porem, aquele cara não tem 16 anos nem aqui, na na casa do #@$%$#!#, achei uma pessima idéia botar um cara de 30 anos pra fazer um moleque de 14, outra coisa que me confunde é Porque diabos aquele vampiro frequenta a escola? será que ele rodou todos esses anos, ou é promessa? isso é outra incognita no filme.
Quando ele começa a brilhar no sol, ai meu amigo, eu tive que soltar um – PUTA MERDA – alto equanto o publico feminino, pansexual, gritava – LIIINDO – isso fugiu totalmente ao contexto de vampiros, no meu tempo vampiros viram cinzas e não purpurina.

O divertimento é razoavel, querendo ou não é ideal para ver com um “amiga” aquela amiga que você ja tem uma amizade colorida, ou com sua namorada, vale a pena se você não tiver nenhum programa pra um sábado ou domingo a tarde, mas vá acompanhado, ir sozinho pega mal, muito mal(caso você seja homem, claro).

Avaliação final:

Se você realmete quer saber o que é um vampiro assista Dracula.

Obs: os filmes citados no post são ótimos filmes. fikdik